Archive for abril \26\+00:00 2013

8

abril 26, 2013

Me apague

me reescreva

me reviva em sua vida

como todo esse tempo pode me afetar tanto ?

sinta-se bem ao meu lado

que sempre a solidão possa partir de meu coração em sua chegada

e que sua partida doa muito mais que tudo isso que passei sem você.

eu não corro

não me movo espero apenas .

a reflexão dói ,

não tanto como a sua vida ,

o agora é estranho pegajoso e horrendo ,

sem frio nem calor sem petá-la nem flor ,

só a coragem que corre nas veias e a esperança de te ver ,

o meu lado é bruto ofuscado  e turvo

a detenção da minha visão entre eu e você

é oque escorre pelos meus olhos enquanto ,lá fora venta forte e eu como sempre sem a sorte de te ver .

seja breve seja rápida seja lenta ao mesmo tempo .

o amo que é não se vai e o que fica é oque vai valer

por mim por você por nós ,

nos que minha garganta em não gritar seu nome na ausência do seu sorriso ,

e se a minha fraqueza for você eu a amo ,

e se meu medo te perder , eu encisto .

eu encisto e você quantas vezes precisar 

eu encisto e não acreditar no fim que o tempo nos dá

e que tudo que vem e o oque parte

o sentido é como a arte .

a mais abstrata que não se entende  mais se sente

e se mata como me mata cada dia sem você

eu queria entender essa falta que me faz você .

 

abril 17, 2013

é  apenas um violão desafinado
que toca notas que nem mesmo existem
mais espera e deixa o som soar
talvez a melodia possa contar
tudo aquilo que teve que pelo fim passar
pra poder de novo se levantar
pra poder viver em paz .

abril 17, 2013

eu não vou me afogar em magoas
de uma vida que faz  pagar tributo
a tudo isso  que nunca me levou a lugar nenhum
sempre é simples explicar oque já passou
e ficar apenas com os pedaços
que você deixou
que você deixou  pra mim viver
todas horas são iguais o tempo já não passa mais
á algo de você em mim que não deixa morrer assim
e todas as desculpas eu pedi
e todos os meus sonhos que perdi
somos meros mortais e queremos dimais
e é sua culpa é sua culpa.
 eu ser assim

abril 17, 2013

o vento sempre levou algo bom pra mim
e trouxe novas historias pra contar
e eu sei
que quando o inverno chegar
o calor das palavras não serão o suficiente pra esquentar
são mais que canções descrevem corações dispersos no ar
prontos pra viver
prontos pra sonhar
e sempre encontrar a saída quando procurar
e se o acaso trás.
e se a morte é capaz.
 de separar .

abril 17, 2013

o verão se foi  e dentre ele as canções
a bonita .
 e quando as bocas calam
e o silencio fala devagar
e ai eu me pergunto onde é que meu coração esta
deixar ser devagar e me da um minuto pra sonhar
e se não for o suficiente pra conter
deixa a alma livremente viver
e tudo esparecer disperso no ar
como as mais belas canções devem ser sentidas

abril 17, 2013

esse fato que confunde a consciência
que relata o sufoco e a carência
de ser
alguém melhor
são apenas traços e condenações fieis
de uma vida levada na base de Aluguéis
onde esta ?
a luz do pesamento a fonte da memoria
que desaba a cada dia quase mata de pensar
onde isso vai levar ?
o fato de Pensar .

abril 17, 2013

estou traçando minha rota
pra voltar ,
pra aqueles dias que nunca vão se apagar,
to planejando ter de volta oque eu perdi,
to precisando seriamente de ti aqui ,
eu voltei .
e nesse tempo cada verso que eu escrevi ,
não foi capaz de desabafar tudo que tenho de ti ,
eu voltei ,
pra você ,
mais ninguém precisa saber
que o meu sol só brilha com você .
com você .

abril 17, 2013

eu digo adeus  eu sempre digo adeus
a aquilo tudo que na verdade nunca foi meu
eu digo adeus
para uma vida planejada
que vive estapada nos jornais
onde se vive e se morre a cada dia
e mesmo asim continuão iguais
E essa estrada só me diz que estou sem você .


%d blogueiros gostam disto: