Eu acredito que posso ver o futuro
Pois eu repito a mesma rotina
Eu acho que costumava ter um propósito
Mas novamente deve ter sido um sonho
Acho que eu costumava ter uma voz
Agora eu sequer produzo um som
Eu só faço o que me mandam
Realmente não quero que eles venham aqui, ah não

Todos os dias são exatamente iguais
Todos os dias são exatamente iguais
Não há amor aqui e não há dor
Todos os dias são exatamente iguais

Sinto os olhos deles observando
Para o caso de eu me perder de novo
Às vezes acho que estou feliz aqui
Às vezes – sim, – eu ainda faço de conta
Eu não consigo me lembrar como tudo isso começou
Mas posso te dizer – exatamente , – como isso irá acabar

Todos os dias são exatamente iguais
Todos os dias são exatamente iguais
Não há amor aqui e não há dor
Todos os dias são exatamente iguais

Estou escrevendo num pedacinho de papel
Espero que algum dia você possa encontrar
Irei escondê-lo atrás de alguma coisa
Eles não procuram atrás das coisas
Eu ainda estou aqui dentro
Um pouquinho vem sangrando sem parar
Eu gostaria que isso tivesse sido de alguma outra forma
Eu simplesmente não sei, eu não sei mais o que posso fazer!

Todos os dias são exatamente iguais
Todos os dias são exatamente iguais
Não há amor aqui e não há dor
Todos os dias são exatamente iguais

E eu tenho minhas falas ensaiadas
E eu sei o que virá a seguir

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: